ESTE INSTANTE:

Iniciei aqui o Novo Ano, que de novo só mesmo a intrínseca data, com o cartoon em baixo postado. Um alerta da actual realidade de quem, somente, quer sobreviver.
Alerta foi também uma de muitas mensagens recebidas na passagem de Ano, eleitas por mim, pela sua, actualíssima, exactidão; “....o Novo Ano só é Novo se não repetirmos os erros do anterior.”  ,


Assumamos, o entorpecimento desta realidade, que o erro é constante e por vezes involuntário. Nada do contrário, do aqui já postado, sobre o circulo da vida. Neste vicioso erro, o nosso EU segue e soma em cada ano das nossas vidas.

Desde da entrada de 2011, que não tenho postado, quase, nada por aqui e confidencio-vos o porquê; não por falta de ideias mas de organização das mesmas.
Sentenciava-me um Amigo, num destes dias, “……tu para o dizeres é porque sabes porque o dizes…….”.

Necessito de algum alento para distorcer esta perturbação reflectiva, neste início de Ano, e não é com vozeirões políticos ou outros, que reorganizo vontades, mas da vossa atenção ao INSTANTE.
Necessitamos de acatar ao que se passa no nosso QUOTIDIANO político e social. Afinal qual vai ser o nosso retrato Europeu? Quem tem razão no tocante ao comportamento social e Europeu?!!! Sinto-me confuso e não encontro o fio desta embrulhada. Esta a razão para nem eu encontrar uma linha lógica que satisfaça a minha e a vossa leitura.

Não discirno melhorias ou mudanças na sociedade, nada mudou, mesmo sabendo do que aí vem, (pelo prometido), continuamos a gastar em desnorte sem calculismos e preocupações. De vez em quando lá vem um queixoso, num canal televisivo, a dizer da sua injustiça, mas nem este consegue acordar as nossas despreocupadas mentes. No quadro político acrescento uma “melhoria” no discurso que cada um vai tendo”.

Baralhados ouvimos prelecções ou ataques que ferem e ricocheteiam nos autores e alvos, rimo-nos, ignoramos ou sobressaltamo-nos, dependendo de cada um. Confundidos preferimos assumir um estado de marasmo social com o conluio do despesismo parolo.
Esta a realidade que atravessamos, esquecendo cada MOMENTO que nos transpõe. Este instante que relegamos no incógnito amanhã, mas certo, mesmo que cá não estejamos.

Nestas dubiedades, que vos posso dizer? Que acordemos, estudemos, ouçamos, atendamos, sintamos cada INSTANTE e daí tirarmos proveito, da grande sabedoria, do Conhecimento Do Ser? Penso ser este o caminho certo que nos leve à vociferação do CHEGA. E “eles” cessariam por um instante e organizavam-se em prol, do EU, da Paz Social que, tanto, almejamos.
Perdoem-me esta demagógica utopia ou revolta, mas acredito que nada está perdido.

Tenhamos vontade no erguer de uma nova quimera. Se cada um de nós “recolher vontades” estas transformar-se-ão no combustível do ânimo e da força crítica global. A personagem, Blimunda, da obra do Saramago, Memorial do Convento, assim o fez ao recolher vontades; “ recolhe vontades para a passarola……disse-lhe o padre”, único combustível da invenção e do HOJE.

Com esta vianda desejo-vos um Ano cheio de vontades e um amanhã mais certo e auspicioso. Lembrem-se que acasos não existem e por esta razão, dou-vos o que me sobra, o sentido de vos alimentar, aproveitem porque o INSTANTE é este e outro virá daqui a pouco.

Mensagens populares deste blogue

Insólito Encontro