Prazer Humano


vida prazerosa
Vida

O sistema relacional, dos Humanos, encontra-se em crescente degradação, distante dos princípios projectados e definidos à raça que, em debruçado olhar, constata-se uma coexistente duplicidade, entre seres, que ao nada e a nada Nos levará, mesmo com diárias interrogações obtemos materializadas e trabalhadas respostas, por aqueles que, objectivamente, obscurecem o sentido da Vida.
Esta laboriosa imaginação, tudo alcança, indiferente à mente mais protegida, quer nas magníficas invenções às mais básicas conversas, levou o Ser ao hipnótico estado de tudo aceitar, louvar, adular e se auto-destruir.


Nestes obscuros comportamentos somam-se guerras, não as quentes, mas as frias, aquelas de palavras, pensadas do individual ao colectivo, que semeiam atemorização, mesquinhez, traição e deslealdade, com aquele que acabou de aqui passar. Até pode ser desconhecido, mas não deixou incólume a sua passagem. Disse-me que, (...), Tu traíste, com isso passaste a trapaceiro, porque Ele afinal, com toda esta e aquela conversa, conseguiu o Meu lugar, denegriu a imagem do meu jardim, retirando-me o nome lá enraizado, desenvolvendo uma trama entre conhecidos e desconhecidos, rompendo a salutar convivência, até agora cultivada. Hoje passo por Ti e por Ele, cerrando os dentes, sendo Eu o cão, Tu o gato e Ele o cobarde, vazios da lembrança do antes, com tais difamatórias atitudes, éramos Amigos, exemplos de bons comportamentos Sociais e Familiares! Foi preciso guerrilhas de mal-dizer para estarmos desavindos uns dos outros? E agora que é feito da Nossa dignidade Humana?! E depois dizemos; “ que a vida é injusta!
Aqui Estou a escrever com pele de cordeiro, estando o Meu interior adverso a boas temperanças. Quero é ver-te pelo costado, seu energúmeno. (....)
Poderia ser uma fábula ou romance, porém não passam de episódios do Nosso Quotidiano, num qualquer transporte público, café, Rua, casa, Prédio por onde cruzemos temos ouvidos, olhos e língua, para desfrutar deste, enraizado, prazer Humano. Maledicência, doutrinar o mal, abater o bem, tudo numa escurecida ignorância do Ser.

Consciente deste tipo comportamental, ao longo dos Séculos, nada aprendemos, no contrário, alimentamos o prémio do desenvolvimento. Ele é bom numas coisas, todavia perde-se na virose cega do Ser. Eu não quero saber de Ti nem Dele, tão pouco interessado em saber se Vós ou Eles se preocupam comigo ou algo faça para Nos ajustar, interessa-me, sim, o Meu bem-estar pessoal, objectivos empresariais, comerciais e sociais, e, necessitando de Ti, de lobo passo a ovelha. Esquecidos estão os, grandes Mestres, seres superiores, que Nos ensinam a viver a Vida pelo Amor, respeito, Amizade, nudez de espírito, gratuitidade....em grandes tertúlias familiares. Eles não passam de pedras esquecidas no olhar de mentes, cada vez mais, magnetizadas por desacreditados discursos à contiguidade desta raça. Já dizia Platão: “o importante não é Viver, mas Viver bem
Dizes-me que, “Enquanto à Vida à Esperança”, ambos sabemos da vida, mas da esperança, perdemo-la nos enredos da inteligência Humana, cada vez mais pérfida interesseira e agreste. A vida passa sem aproveitamento, quando acordados, Ela passou.
Na mentira encontram-se os Deuses do Hoje

Mensagens populares deste blogue

Insólito Encontro