Sine-Sera

Dupla Personalidade
Dupla Personalidade

         

        Era um termo, Romano, usado na fabricação de, límpidas e especiais, jarras de cera. A sua incomum transparência e perfeição era um trabalho delicado na transformação de cera em peças ímpares. Para tornar uma jarra fina e límpida, tinha de se ver o seu interior pelas finas paredes de cera e, no final de cada inspeção, dizia-se - “Como é linda e transparente! Parece até que é sine cera!

          Ao longo dos tempos, “Sine cera”, o mesmo que “sem cera”, transforma-se em adjetivo, “sincero”, para ajuizar o carácter humano.

 
          Carácter; professor da Nossa personalidade, (...), dita a firmeza e escolha, de cada Ser no contato com o género; René Le Senne defendeu que, “Carácter refere-se ao conjunto de disposições congênitas, ou seja, que o indivíduo possui desde o seu nascimento e compõe, assim, o esqueleto mental do indivíduo; já personalidade, é definida como conjunto de disposições mais "externas", como que a "musculatura mental" - todos os elementos constitutivos do ser humano que foram adquiridos no correr da vida, incluindo todos os tipos de processo mental
        Tal como os Romanos transformavam a cera em cristalinas jarras, o Homem constrói o seu carácter, (...), para mais tarde ser portador de um comportamento íntegro e salutar em grupo. “De pequeno se torce o pepino”, uma disciplina de vida, com uma boa orientação, se pode formar uma “sincera” consciência Humana, que comungue com os outros.
 
       A personalidade; juiz da individualidade pessoal e coletiva nos vários padrões; perceção, pensamento, ação, (...); é o elo que pela experienciada partilha, num processo gradual e complexo, avaliará a qualidade da postura, de cada individuo sobre o outro. O ser honesto ou simulado, é individual, partirá de uma bem ou mal intencionada “musculatura mental”. É um projeto moldável e de livre arbítrio, construído segundo a “musculatura externa”; de igual forma por ser influenciável, adopta-se uma ou várias personalidades, consoante as condições, externas, que Nos provenham. Conscientemente criam-se confrontos internos, repercutindo no exterior, sempre que aprisionamos valores e sentimentos incutidos, dando imoralidade à condição Humana.

                 (Fernando Pessoa)

             Construir ou encontrar relacionamentos bem estruturados pode ser cada vez mais difícil, para mais no Mundo de constantes mutações Sociais, (...). Atualmente, nas inúmeras Redes Sociais, (e não só), assume-se companheirismos, virtualizados, mascarados por um teclado donde, por vezes, se devassa e se alteram comportamentos. Individualizam-se valores como; integridade, confiança; respeito; (…), por detrimento de uma ilusória amizade Cibernauta. Com esta satisfação virtual, desintegram-se reais convívios, constroem-se intransponíveis paredes, com impuras palavras e atitudes. Tudo é, “Sine cera”, aprisionado à ignorância do mal fazer e dizer sobre alguma transparente ação.
           Adotar esta virtual-realidade ou manter-se firme e dono do próprio pensamento, cabe a cada um de Nós. Quase sempre preferimos as fraquezas do coletivo, gerando dores individuais, prolongando a entrada da luz, daquele que bem por bem, e o gozo da liberdade do Amor que intrinsecamente existe em cada interior.
       As jarras, aqui exemplificadas, eram de cera e trabalhadas manualmente, não seria trabalho fácil, as de agora são de vidro, feitas por máquinas e de material próprio; o mesmo acontece na construção de uma sincera relação Humana, para além de perigosa dá trabalho. Por tal adotamos outras posturas num rosto, que não o Nosso, conquistando amigos, e, egoistamente, fechamo-nos em frágil carapaça, sem preocupação de magoar ou destruir sentimentos, mas vivermos em função do que Nos é mais cómodo, seja pelo interior, seja pelo exterior.

              “Nenhuma personalidade é impenetrável. Depende da Chave que você usa
              (Augusto Cury)

Mensagens populares deste blogue

Insólito Encontro